domingo, 8 de abril de 2012

SALVAGUARDAS AOS VINHOS BRASILEIROS

Reunidas no auditório do Centro da Indústria e Comércio de Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul, no dia 5 de abril p.p. várias entidades do setor vinícola gaúcho (que precisam mostrar porque existem) e uma minoria de vinícolas (cerca de 7% das existentes), reafirmaram o pedido de salvaguardas ao vinho brasileiro, um setor que vai muito bem, obrigado, no qual muitas adegas esgotam sua produção rapidamente a ponto de nos fazerem antecipar compras para não ficar sem o produto.

Mas a característica marcante do visionário é avcreditar nas próprias mentiras. Este evento retrata bem esta faceta das pessoas dessa natureza!

Os comerciantes, pontos de venda e pontos de dose, assim como jornalistas de peso, todos acostumados com mercados de dezenas de países mundo afora, nos quais se respira a liberdade e a modernidade, reagem prometendo boicote aos vinhos nacionais.

Eu discordo ´porque 93% dos produtores, de grandes a minúsculos, não embarcaram nessa palhaçada ou até se manifestaram publicamente contra essa excrescência mercadológica.
Pena que pessoas até de grande experiência nos rótulos nacionais vem a público, infectados pelo virus do visionário, afirmar que o boicote, na verdade, sempre ocorreu, só que de forma velada. Eu que trabalhei efetivamente pelo vinho brasileiro, não em gabinetes recebendo proventos para tal, afirmo que nunca houve boicote, no sentido da palavra. O que sempre houvé foi uma escolha entre vinhos medíocres, brancos docinhos, e vinhos tintos de qualidade razoável.


“O boicote é precipitado porque o pedido de salvaguarda aos vinhos brasileiros está em análise no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC)”, comentou o diretor-executivo da Agavi, Darci Dani. Ele lembrou que o processo de análise da salvaguarda ao vinho brasileiro está em aberto para receber todas as manifestações contrárias. 

Estas observações deveriam ser encaradas pelas entidades visionárias como algo de duas vias: o pedido de salvaguardas foi precipitado e mostrou bem o ranço dos tempos de ditadura militar. Se a salvaguarda está aberta para receber comentários, por favor, anote e considere minimamente as manifestações contyrárias porque uma iniciativa precipitada de vocês está causando e vai resultar em muitas reações precipitadas.

Essa iniciativa me lembra o que ouvi uma vez de um militar amigo: aqui você pode casar com quem quiser, desde que seja esta Maria!!! 

Um comentário:

Stevan (Tangará) disse...

Prezado amigo, eu já disse para um membro dessas entidades: "Quem plantou selo fiscal colheu um pé na bunda; quem planta salvaguarda vai colher intolerância!
Estamos em 2012, retrocessos não serão mais aceitos, doa a quem doer...

Abraço e continuemos lutando pelo BOM VINHO, e tomara que ele seja nosso...